terça-feira, 4 de dezembro de 2007

ENTREVISTA: RUBINHO

PESCANET ENTREVISTA: RUBINHO

Pescanet: Desde quando você pesca e porque começou a pescar?

Minha historia é um pouco diferente da maioria das pessoas que começam a pescar desde cedo. Na realidade, também tive minhas experiências quando garoto, mas pouco me interessei pela pesca até os 30 anos. Confesso que não gostava mesmo de pescaria até esta idade. Visitando, na ocasião, um amigo que era pescador, algum botão foi ligado e a partir daí virou uma grande paixão.

Nestes últimos 21 anos aprendi a gostar de todo tipo de pescaria e procurei aprender o máximo possível. Não há nenhuma pesca que não me agrade, a não ser aquelas que não respeitem a natureza e o meio ambiente, seja do estilo que for.

Pescanet: Qual peixe lhe trás recordações até hoje de uma batalha inesquecível?

Muitos peixes e muitas situações deixam saudades. Quando vou a um local novo ou vou pescar um peixe que não conheço é sempre emocionante. Mas, uma situação especifica marcou minha experiência de pesca. Foi um grande atum, com o qual fiquei brigando por mais de 4 horas. Houve tempo para pensar em muitas coisas, testar toda a minha técnica e meu limite físico. Foi estafante, mas a experiência valeu a pena

Pescanet: Sendo o pioneiro da pesca esportiva na TV, o que o levou a apresentação deste tipo de programa?

No final da década de 80 e já apaixonado por pescarias sentia falta de um programa de TV que falasse deste assunto. Em conjunto com um amigo decidimos tentar iniciar este processo na TV brasileira. Começamos com um programa chamado Pesca Brasil na rede OM e lá ficamos por cerca de 10 meses, quando fomos convidados pela Record, Manchete e SBT. A opção foi pelo SBT, quando criamos o Pesca & Companhia.

Pescanet: Você acredita que o Brasil tem potencial para desenvolver a pesca esportiva?
A pesca esportiva, se entendida como um segmento importante da economia, pode contribuir fortemente para geração de emprego e renda. É neste aspecto, como um segmento de turismo, que ela pode ser importante ao País. O Brasil é o país do mundo que apresenta as melhores condições para desenvolver um grande segmento de pesca esportiva. Ninguém tem tanta diversidade de peixes de água doce como nós. Temos também uma bacia Amazônica que é a maior rede hidrográfica do planeta e com clima tropical, o que permite pescar durante o ano todo. Não podemos esquecer de que temos também em nosso território um pantanal, um litoral com mais de 8.000km e represas em grande quantidade. Tudo isso nos credencia para acreditar nesse grande potencial.

Pescanet: Tendo a oportunidade de conhecer tantos rios e represas, qual deles mais lhe agrada para a prática da pesca esportiva?

Gosto de pescar, não importa muito onde. Mas, é fundamental que o local esteja preservado. É difícil escolher o local preferido, pois depende muito do que se esta procurando. Há momentos, quando estou na Patagônia, que não quero estar em outro local. Quando chego em um de nossos acampamentos na Amazônia me sinto em casa. Tudo é bom.





escanet: Como funcionam os cursos e viagens de turismo oferecidos pelo Pescaventura?

Quando saí do Pesca & Companhia em 1997, criei a marca Pescaventura para dar continuidade ao meu trabalho no segmento da pesca esportiva. Atualmente o Pescaventura engloba diversas atividades: escola de pesca, turismo, palestras, consultoria, treinamento e site. Quando parei com a TV, aproveitei este tempo livre para desenvolver a atividade da escola que era um sonho antigo. Poder passar conhecimento e poder contribuir para melhoria da qualidade técnica e comportamental de nossos pescadores é altamente necessário e gratificante.

Meu braço direito na escola, tem sido o Laércio da Costa Quatrocci, com quem divido o prazer de passar alguns ensinamentos aos alunos. A Escola Pescaventura, desde que começou a funcionar, já treinou mais de 2.000 alunos e tem muito orgulho disso. Plantamos boas sementes.

O turismo desenvolvido pelo Pescaventura é distinto do que o mercado oferece na sua grande maioria. A preocupação não é só vender um pacote de pesca, mas prestar um serviço completo, que vai desde a escolha do local, as datas, a organização e planejamento da viagem. O envolvimento com o cliente é global, não só na orientação do equipamento, como no na sua utilização através de possíveis cursos antes ou durante a viagem e no acompanhamento durante os dias de pesca. O objetivo é fazer uma viagem mais rica e com mais segurança e tranqüilidade. Ou seja, sempre brinco com meus parceiros, principalmente com minha sócia, Andrea Ávila, que nosso trabalho é a realização de sonhos e que temos de fazer isso da forma mais ética possível.

Pescanet: Sendo ídolo de uma enorme geração de pescadores a procura por sua coleção de DVD's é muito grande, fale mais para a gente sobre este lançamento.

Há muitos anos muitos pescadores me pediam para lançar os programas de TV em DVD. Faltava um parceiro sério para isso. No ano passado fechei uma grande parceria com uma empresa especializada em DVDs, Pesca Multimídia, e decidimos pelo lançamento de 10 DVDs, cada um contendo 2 programas reeditados e mais uma gama de informações. Se a demanda seguir como esta se apresentando, deveremos continuar estes lançamentos


Pescanet: O que você acha da pesca esportiva hoje?

Para mim pesca esportiva não esta relacionada a estilo de pesca ou tipo e qualidade de equipamento. Conheço pescadores que sabem tudo, possuem equipamentos caríssimos e modernos, só pescam com iscas artificiais e que de esportivo não tem nem o cheiro. Ao contrário de outros que só pescam com linhadas de mão e são exemplos de esportividade. Pescar esportivamente esta na realidade relacionado com comportamento, na relação do pescador com meio ambiente. Neste caso, as palavras chaves são: preservação e bom senso.

Acredito no futuro e tenho certeza que o Brasil será um grande celeiro de destinos para a pesca esportiva.

O pesque e solte é uma atitude simbólica que defini uma atitude preservacionista do pescador. Uma vez, um guia americano me disse que se quisermos ter algum peixe no futuro temos que começar a soltar agora. Não haverá mercado, se não houver matéria prima. É uma regra básica que temos de seguir.

Pescanet: Quais são os seus projetos para o futuro? Pretende continuar trabalhando com a pesca esportiva?

Fortalecer cada vez mais as atividades da Escola e do Turismo. Atuar mais fortemente na relação do Pescaventura com seus parceiros, pois é impossível crescer solitariamente. Na escola, teremos cursos mais regulares, para adequar melhor a agenda de nossos alunos. No turismo, a abertura de novos roteiros e a exposição no exterior para buscar novos clientes serão nossas grandes metas.

Pescanet: Deixe para os nossos amigos pescadores uma frase, dica ou comentário!

Pescador esportivo não é aquele que tem o melhor equipamento, mais caro e mais moderno. É sim, um individuo correto, que respeita os parceiros, o peixe e o meio ambiente. Defendam este esporte que é dos mais saudáveis e que nivela as pessoas, não importando quem é rico ou pobre. Se cada um de nós fizer o seu papel, todos nós, hoje e no futuro, poderemos olhar para trás sem arrependimento.



Postagem de Cortezia
http://www.pescaventura.com.br/default.asp
www. pescanet .com.br

Um comentário:

THIAGO - VIDA É PESCA disse...

Bom dia!
Parabéns pelo blog, sou aficcionado na pesca esportiva, principalmente de dourados....da uma passada no meu blog lá, tenho noticias interessantes para pescadores...www.vidaehpesca.blogspot.com
gde Abraço
Thiago Souza